Ir para o conteúdo
warning sign

Abordagem de sistema seguro

A abordagem do Sistema Seguro sustenta todos os aspectos de um sistema eficaz de gerenciamento de segurança no trânsito. A abordagem baseia-se na premissa de que ninguém deve ser morto ou gravemente ferido ao usar a rede rodoviária.

A abordagem do Sistema Seguro reconhece que os humanos são falíveis e cometerão erros. Também existem limites para a troca de energia cinética que os humanos podem tolerar (por exemplo, durante a desaceleração rápida associada a uma colisão) antes que ocorram ferimentos graves ou morte. Uma parte fundamental da abordagem do Sistema Seguro exige que o sistema viário seja projetado para levar em consideração esses erros e vulnerabilidades, de modo que os usuários das vias possam evitar ferimentos graves ou morte na estrada. Uma abordagem de Sistema Seguro tem as seguintes características:

  • Erros, erros de julgamento e más decisões são intrínsecos ao ser humano. O sistema viário precisa ser projetado e operado para levar em conta isso.

  • Humanos são frágeis. Desprotegidos, não podemos sobreviver a impactos que ocorrem a mais de 30km/h.

  • Os elementos 'projetados' do sistema - veículos e estradas - podem ser projetados para serem compatíveis com o elemento humano, reconhecendo que, embora possam ocorrer colisões, o sistema total pode ser projetado para minimizar os danos, particularmente tornando as estradas auto-explicativo e perdoando de erro humano.

A segurança rodoviária é uma responsabilidade partilhada entre os que utilizam as estradas e os que gerem, concebem, constroem e mantêm o sistema rodoviário e os que prestam cuidados pós-acidente.

Em um Sistema Seguro, os problemas de segurança viária são tratados considerando a interação de vários componentes do sistema de transporte, em vez de implementar contramedidas individuais em relativo isolamento. Isso significa que toda a gama de soluções, infraestrutura, gerenciamento de tráfego e velocidade, padrões de veículos e equipamentos e comportamento do usuário da estrada precisam ser abordados.

Implementar a abordagem do Sistema Seguro requer desenvolver e fortalecer a gestão institucional de um país capacidade focar na obtenção de resultados visando a eliminação de mortes e feridos graves.

A Abordagem de Sistema Seguro evoluiu de Abordagem Visão Zero da Suécia e Segurança Sustentável na Holanda.

Uma abordagem direcionada para esta ambição é recomendada no OCDE relatório que se concentra em definir e atingir metas ambiciosas de segurança no trânsito dentro de uma abordagem de Sistemas Seguros. Este relatório baseia-se nas principais recomendações do Relatório Mundial sobre Prevenção de Lesões no Trânsito que estabelecem as iniciativas estratégicas necessárias para melhorar o desempenho da segurança rodoviária no país. Estes são para:

  • Identificar uma agência líder no governo para orientar o esforço nacional de segurança no trânsito.

  • Avalie o problema, as políticas e as configurações institucionais relativas às lesões causadas pelo trânsito e a capacidade de prevenção das lesões causadas pelo trânsito em cada país.

  • Preparar uma estratégia nacional de segurança viária e um plano de ação.

  • Alocar recursos financeiros e humanos para resolver o problema.

  • Implementar ações específicas para prevenir acidentes de trânsito, minimizar lesões e suas consequências e avaliar o impacto dessas ações.

  • Apoiar o desenvolvimento da capacidade nacional e da cooperação internacional.

As diretrizes para implementar as recomendações do Relatório Mundial foram desenvolvidas em um relatório do Banco Mundial Instalação Global de Segurança Rodoviária. Este relatório discute revisões de capacidade de gerenciamento de segurança rodoviária e projetos de sistemas seguros, e fornece orientação detalhada para a estrutura de gestão e investimento necessária para apoiar a implementação bem-sucedida das recomendações do Relatório Mundial. As diretrizes especificam dois estágios principais para a implementação:

  1. Fase 1 – realizar uma revisão da capacidade do país que aborda as recomendações 1-4 e especifica uma estratégia de investimento e identifica projetos de implementação do Sistema Seguro.

  2. Fase 2 – preparar e implementar projetos de Sistema Seguro com base em soluções de boas práticas que abordam prioridades e construir processos de monitoramento e avaliação.

Imagens Relacionadas

LinkedIn
LinkedIn
Share
pt_BRPortuguese